quarta-feira, 25 de março de 2009

Ribeiro Soares, a SIDA, o preservativo e um doutor de Harvard

Do Coronel Alberto Ribeiro Soares, que já é conhecido (a seu pedido) neste blogue, recebi o seguinte email:

“Se tiveres coragem publica isto no teu blog.

Abraço

RS”

“Isto”, é o seguinte texto:

“Do Director do Projecto de Estudos sobre Prevenção do S.I.D.A. de Harvard: Afirmações do Papa acerca da distribuição do preservativo tornar a epidemia de S.I.D.A. pior estão correctas

Por John –Henry Westen - 19 de Março de 2009

Edward C. Green, Director do Projecto de Estudos sobre a Prevenção do S.I.D.A. do Centro de Estudos sobre População e Desenvolvimento de Harvard, afirmou que a evidência corrobora as afirmações do Papa ao declarar que a distribuição de preservativos piora o problema do S.I.D.A.

“O Papa está certo”, afirmou Green ao National Review Online na passada Quarta-feira,”ou, melhor dizendo, as nossas melhores conclusões vão ao encontro dos comentários do Papa.”

“Existe”, acrescentou Green, “ um paralelo consistente que mostram os nossos estudos, incluindo a “Demographic Health Surveys”, fundada pelos Estados Unidos, entre uma maior disponibilidade e uso de preservativos e uma maior – não menor – incidência de infecções pelo vírus HIV. Isto pode dar-se devido ao fenómeno conhecido por “compensação de risco”, significando que quando a população utiliza uma tecnologia de redução de risco como o preservativo, muitas vezes essa mesma população perde o benefício da redução desse risco ao “compensar”, arriscando-se mais do que faria sem essa tecnologia. (Ver a entrevista completa com Green em http://article.nationalreview.com/?q=MTNINDc1MmMwNDMoOTEzMjQ4NDcoCGUyOWYxNmEzN2E=)

A Pagina Electrónica do Projecto do S.I.D.A. sobre Green menciona o seu livro “Repensar a Prevenção do S.I.D.A.: Aprendendo com os Sucesso de Países em Desenvolvimento”. Nele Green revela que “ As soluções, na sua maioria médicas, fundadas pelos grandes doadores tiveram pouco impacto em África. Em compensação, mudanças de comportamento relativamente simples e de baixo custo – como insistindo numa crescente monogamia e no adiamento da actividade sexual para os mais novos – têm tido maior sucesso na luta contra a doença e na sua prevenção.”

O texto completo da troca de impressões entre o Papa Bento XVI e o repórter, texto esse que lançou uma tempestade na imprensa mundial, foi divulgado agora pela imprensa do Vaticano.

O Papa foi confrontado com a seguinte questão: “ Santo Padre, um dos maiores flagelos de África é o problema da epidemia de S.I.D.A.. A posição da Igreja Católica na luta contra este mal tem sido frequentemente considerada irrealista e ineficaz.”

Bento XVI respondeu: “ Eu diria o contrário.

“Estou convencido de que a presença mais efectiva na frente de batalha contra o HIV/S.I.D.A. são, precisamente, a Igreja Católica e as suas instituições. Penso por exemplo na Comunidade de Santo Egídio, que tanto faz e tão visivelmente na luta contra o S.I.D.A; ou nas Camillianas, só para mencionar algumas das freiras que estão ao serviço dos doentes.

Penso que este problema, o S.I.D.A., não pode ser vencido com slogans de propaganda. Se falta a alma, se os Africanos não se entre ajudarem, o flagelo não pode ser resolvido com a distribuição do preservativo; pelo contrário, arriscamo-nos a piorar a situação. A solução só pode advir de um compromisso duplo: primeiro, na humanização da sexualidade, ou por outras palavras, num renovamento espiritual e humano que traga consigo uma nova forma de proceder uns para com os outros. E em segundo lugar, num amor autêntico para com os que sofrem, numa prontidão – mesmo à custa de sacrifício pessoal - para estar presente aos que padecem. São estes os factores que podem trazer o progresso, real e visível.

Assim, eu diria que o nosso esforço deve ser o de renovar a pessoa humana por dentro, o de dar-lhe força espiritual e humana para uma forma de comportamento justa para com o seu corpo e o corpo do outro; e ainda o de ajudá-la a ser capaz de sofrer com os que sofrem e de estar presente nas situações difíceis.

Acredito que é esta a primeira resposta ao problema do S.I.D.A., que é esta a resposta da Igreja e que, deste modo, a sua contribuição é uma grande contribuição. E estamos gratos a todos os que assim contribuem.”

Veja as credenciais impressionantes e a lista de publicações do Dr. Green em http://www.harvardaidsprp.org/faculty-staff/edward-c-green-bio.html”


O meu comentário:


Caro Alberto, escusavas de ter apelado à minha coragem, para publicar este texto. Como tens obrigação de saber, foi coisa que nunca me faltou para enfrentar adversidades e opiniões contrárias às que frontalmente sempre defendi, defendo e defenderei quando for caso disso.

Como administrador de O Cacimbo nunca procedi nem procederei de outra maneira.


Mas noto alguma confusão na insistência dos teus argumentos. Nunca, neste blogue foi escrita uma linha contra a doutrina social da Igreja. Pelo contrário - e se te deres ao trabalho de leres todos os postais aqui publicados - notarás que, eu próprio, já referi que, entre essa doutrina e o marxismo, não noto grande diferença.

Por isso mesmo, aplaudo o papel que as missões católicas têm em África no tratamento às populações doentes e infectadas pelas mais variadas epidemias, quando o podem e têm recursos para isso.


Outra coisa são os dogmas e a infalibilidade do Papa, qualquer que ele seja.

Como também tens obrigação de saber, este Bento XVI é o segundo Papa alemão. O outro, ocupou o trono se São Pedro na Idade Média...

E o Cardeal Ratzinger, desde sempre revelou preferir ideias medievais do que aceitar o Concílio Vaticano II.


Como também sabes, cada vez que abre a boca para o mundo, é raro não estabelecer polémica e ser criticado por católicos, governantes e cientistas. Talvez de aqui a umas década - o tempo agora corre mais depressa - estará a Igrja Católica a pedir desculpa pelos erro deste Papa...


Portanto, o tal "doutor" que te serve de bengala leva-me a chamar-te a tenção para o seguinte:

Afinal não é somente em Portugal que "um burro carregado de livros é doutor"; pelos vistos em Harvard também existe essa espécie.


Álvaro Fernandes


1 comentário:

Blimunda disse...

A polémica sida/preservativo continua? O Zigoto tem paciência para dar cobertura no Cacimbo a "comentadores" que apenas aqui caiem com longas citações ora do papa ora de profs de Harvard? Já não há pachorra para quem não consegue discorrer mas apenas socorrer-se do que grandes "eminências" dizem ou escrevem! Esse sr R. Soares parece estar mais preocupado com provocações que nada acrescentam à humanidade. Até agora ainda não compreendi o que ele defende realmente, se a vida ou os eternos dogmas da igreja ,alguns já sem sentido, perante as mortes que o flagelo da sida provoca.
Por mim chega!